Sábado, 31 de Outubro de 2020
86 9 8877-6606

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 98877-6606

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

32°

25° 39°

Teresina - PI

Últimas notícias
R10 Utilidade Pública
R10 Utilidade Pública
Tudo sobre utilidade pública.
Brasil Suspensão
14/09/2020 16h03 Atualizada há 1 mês
Por: Bruna Sampaio

Bolsa família: auxílio é suspenso para mais de 922 mil beneficiários

Com isso, o governo deixou de gastar pelo menos R$ 550 milhões do orçamento.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O governo bloqueou, em agosto, o pagamento do auxílio emergencial a 922.600 beneficiários do Bolsa Família que recebem o auxílio emergencial. De acordo com o Ministério da Cidadania, a Controladoria-Geral da União (CGU) recomendou o cancelamento de 613.190 benefícios e a suspensão de 309.503, após identificar indícios de que os trabalhadores deixaram de cumprir os critérios de recebimento do benefício de R$ 600.

Com isso, o governo deixou de gastar pelo menos R$ 550 milhões do orçamento destinado ao benefício. Segundo o Ministério da Cidadania, as liberações serão retomadas a partir deste mês. A promessa do governo é adicionar ao pagamento de setembro (já de R$ 300) o valor que ficou bloqueado em agosto (R$ 600) para quem foi afetado pela revisão do auxílio.

Vale destacar que as mulheres chefes de família recebem a cota dobrada.

Continua depois da publicidade

Como serão os pagamentos

De acordo com a pasta, para aqueles que continuam obedecendo aos critérios de recebimento do benefício emergencial, o pagamento será restabelecido em setembro, com o valor retroativo que não foi pago em agosto.

Outro grupo, no entanto, teve o auxílio emergencial cancelado, mas continuará inscrito no Bolsa Família, e também receberá, a partir da próxima quarta-feira (dia 17), o pagamento referente a agosto e setembro. O Ministério não revelou o número de inscrições bloqueadas definitivamente.

Continua depois da publicidade

Para as famílias que têm alguma pessoa em sua composição com o auxílio emergencial cancelado, mas que possuem outro trabalhador elegível ao benefício, será realizada a alteração do valor da parcela.

O governo pode revisar pagamentos do auxílio emergencial e até exigir a devolução do dinheiro a quem recebeu indevidamente a ajuda de R$ 600 nos últimos meses. Já o Bolsa Família não pode ser cortado desde 20 de março. Por causa da pandemia, o Ministério da Cidadania suspendeu as revisões cadastrais do programa social durante 120 dias. Esse prazo foi ampliado por mais 180 dias, em 20 de julho.

Como contestar

Continua depois da publicidade

De acordo com o ministério, é possível contestar o cancelamento ou a suspensão do auxílio emergencial pelos site ou pelo aplicativo da Caixa ou pelo site da Dataprev.

Após a reanálise dos dados, caso a contestação seja aprovada, o auxílio emergencial será concedido e liberado ao responsável familiar a partir da folha de pagamentos subsequente, e será pago de acordo com o calendário do Bolsa Família.

Pagamentos do Bolsa Família

Quem está inscrito no programa social receberá um novo pagamento entre os dias 17 e 30 de setembro, conforme o dígito final do Número de Identificação Social (NIS):

17 de setembro - NIS de final 1

18 de setembro - NIS de final 2

21 de setembro - NIS de final 3

22 de setembro - NIS de final 4

23 de setembro - NIS de final 5

24 de setembro - NIS de final 6

25 de setembro - NIS de final 7

28 de setembro - NIS de final 8

29 de setembro - NIS de final 9

30 de setembro - NIS de final 0

Fonte: Extra
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®