Sexta, 30 de Outubro de 2020
86 9 8877-6606

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 98877-6606

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

37°

25° 38°

Teresina - PI

Últimas notícias
R10 Pet
R10 Pet
Tudo sobre o mundo dos pets.
Geral Pet
18/09/2020 14h38
Por: Bruna Sampaio

Seu cachorro come cocô? Entenda o motivo e veja dicas para fazê-lo parar

Coprofagia é o nome dado ao fenômeno no qual o cão come suas próprias fezes ou de outros animais

Foto: Freepik
Foto: Freepik

Muito frequentemente, os cães apresentam comportamentos que os donos não conseguem interpretar e que despertam tanto a sua decepção como a sua repulsa. O comportamento do cachorro comendo cocô é certamente o mais comum e sempre deu origem às mais variadas interpretações, desde a deficiência alimentar à simples degeneração do paladar.

Para os cães, entretanto, esse comportamento não é tão estranho, aliás, entre eles é absolutamente normal. Mas esse comportamento tem vários significados. Coprofagia é o nome dado ao fenômeno no qual o cão come suas próprias fezes ou de outros animais. Deve ser lembrado que entre os animais é uma prática remanescente de seus ancestrais selvagens.

O que significa esse comportamento do cachorro comendo cocô?

Coprofagia é um fenômeno em que o cão come suas próprias fezes ou de outros animais. Deve ser lembrado que entre os animais é um fenômeno completamente natural e é um remanescente de seus ancestrais selvagens.

Continua depois da publicidade

O comportamento do cachorro comendo cocô afeta frequentemente cachorros jovens. Eles podem imitar o comportamento da mãe que come fezes de bebês para manter o ninho limpo. Os filhotes que exploram seus arredores costumam brincar com excrementos e comê-los ao mesmo tempo. Esse comportamento pode desaparecer com o tempo, mas em alguns cães persiste ou ocorre em momentos diferentes de suas vidas.

Ver o cachorro comendo cocô é sempre preocupante, pois pode indicar anormalidades como problemas de comportamento ou deficiências nutricionais. Também deve ser lembrado que os cães com coprofagia aumentam o risco de infestação por parasitas e infecção por bactérias e vírus patogênicos.

Coprofagia: quando vemos o cachorro comendo cocô

Existem dois tipos de coprofagia: coprofagia fisiológica e coprofagia patológica.

Continua depois da publicidade

Coprofagia fisiológica

Lidamos com coprofagia fisiológica em duas situações:

Em cadelas em lactação, que, como já foi mencionado, comem as fezes de seus filhotes para manter o ninho limpo e eliminar odores que podem atrair predadores. Por se tratar de um fenômeno natural, não deve preocupar os criadores. A cadela irá interromper esse comportamento quando os filhotes se tornarem mais independentes.

Nos cachorros, que muitas vezes imitam a mãe ou pela necessidade de explorar os arredores, têm de tocar tudo por si próprios e experimentar com a boca. Essa situação já pode ocorrer em uma nova casa. Por isso o responsável deve sempre observar cuidadosamente o animal durante as caminhadas, principalmente em locais visitados por outros animais. Esse comportamento deve desaparecer com o tempo.

Continua depois da publicidade

Coprofagia patológica

A coprofagia patológica é um fenômeno complexo. Ela ocorre em cães com distúrbios ou deficiências dietéticas. Existem vários motivos para esse fenômeno, tais como:

Deficiências de vitaminas, especialmente do grupo B

A presença de parasitas internos

Doenças pancreáticas ou hepáticas

Distúrbios da flora bacteriana, por exemplo, durante a terapia antibiótica

Gastrite

Problemas com digestão e absorção e indigestão

Dieta inadequada, pobre em proteínas

Distúrbios comportamentais

Não subestime a ingestão de fezes pelo cão, pois isso pode indicar um problema de saúde para seu animal. Procure orientação de um veterinário que diagnosticará a causa do problema. Não subestime isso, especialmente quando seu cachorro come seu próprio cocô.

Causas do cachorro comendo cocô

Quando o cão come fezes, pode ser devido a problemas no intestino

Uma razão muito comum para comer fezes é um distúrbio da flora intestinal do cão. Um grande número de bactérias boas vive no intestino saudável, que pode tolerar algumas bactérias ruins, ou seja, bactérias causadoras de doenças, e mantê-las sob controle.

Existem muitas razões que podem, infelizmente, alterar esse equilíbrio em favor das bactérias intestinais ruins, seja por meio da administração de um antibiótico, alimentação incorreta ou estresse, assim, a flora intestinal rapidamente se torna desequilibrada.

Outra razão possível para o cachorro comer fezes – infestação de vermes

Uma forte infestação por vermes pode ser um fator desencadeante para “comer fezes”, porque isso pode interromper significativamente os processos digestivos de um cão e levar a graves déficits de nutrientes.

Nesse caso, é recomendado o exame de fezes e só recorrer à desparasitação se o resultado for “positivo”. Porque toda desparasitação desnecessária prejudica cada vez mais a flora intestinal e, portanto, não leva a nenhuma melhora.

Consequências de um cachorro comendo cocô

O comportamento do cachorro comendo cocô pode ser prejudicial ao seu cão. As fezes, além de restos de comida, também podem conter bactérias, vírus, fungos e ovos de parasitas.

Comer seus próprios excrementos é a forma menos prejudicial desse fenômeno, mas os cães frequentemente comem as fezes de outros animais. Portanto, é importante não ignorar esse comportamento e neutralizá-lo de forma eficaz. Deve ser lembrado que neste caso não só o cão está em risco, mas também há perigo para as pessoas. Os cães alimentados com uma dieta de carne crua têm um alto risco de espalhar a bactéria Salmonella.

Como treino meu cachorro para evitar que ele coma cocô?

Em primeiro lugar, pense na causa do comportamento perturbador e não lute contra o efeito. Comer excrementos é a maneira de um cão lidar com um problema. Este problema pode frequentemente resultar de distúrbios digestivos e de absorção.

Se tomarmos cuidado para melhorar a condição da microflora intestinal e melhorar a digestão, minimizaremos o risco de nosso cão comer cocô de animais durante uma caminhada.

As substâncias que têm esse efeito são:

Abacaxi seco (a bromelaína nele contida facilita a digestão das proteínas e, portanto, auxilia sua absorção)

Pré-biótico (melhora o funcionamento da microflora intestinal)

Bactérias do grupo de bactérias do ácido láctico (apoiam a restauração da microflora intestinal benéfica enquanto limitam o crescimento de bactérias potencialmente patogênicas)

Probióticos (mantém a proporção correta de bactérias benéficas para bactérias prejudiciais no intestino)

Yucca (reduz o cheiro desagradável das fezes e o cheiro do animal)

Cachorro comendo cocô: aja imediatamente!

Lembre-se de que a coprofagia pode ter uma base fisiológica (resultante de distúrbios da flora bacteriana benéfica). A coprofagia também pode resultar de um distúrbio comportamental que deve ser diagnosticado por um especialista em comportamento animal.

Seja qual for o motivo, não hesite em agir:

Acima de tudo, não castigue o cão (este comportamento é independente dele)

Introduza a suplementação o mais rápido possível até que este comportamento indesejável se extinga no cão

Conduza o cão pela coleira ou pelo focinho para minimizar a possibilidade de ele comer sujeira

A saúde do seu cão é também a sua saúde e a da sua família!

Fonte: Portal do dog
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®