Segunda, 12 de Abril de 2021
86 9 9821-9621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

31°

22° 35°

Teresina - PI

Últimas notícias
R10 Utilidade Pública
R10 Utilidade Pública
Tudo sobre utilidade pública.
Educação Confira
24/09/2020 10h09 Atualizada há 7 meses
Por: Aline Alves

Professores e alunos são xingados em palestra online da UESPI

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A palestra intitulada Anticomunismo Brasileiro: passado e presente, ocorreu na noite de ontem (23), realizada pelo curso de licenciatura em história transmitido por uma plataforma digital. A professora Marylu Alves de Oliveira e alunos da Universidade Estadual do Piauí, do campus de Oeiras sofreram ataques verbais preconceituosos.

Além de xingamentos e palavrões, os ataques ocorreram também por meio de imagens e vídeos com conteúdo pornográfico. Após a invasão a reunião foi encerrada.

A instituição emitiu nota de repúdio contra a situação e afirmou que os ataques foram feitos por pessoas que não pertencem à instituição de ensino.

Confira a nota na íntegra:

A Universidade Estadual do Piauí lamenta e repudia veementemente atitudes preconceituosas que desprezam o conhecimento, que ferem a democracia, o direito de expressão, de pensamento e buscam diminuir a pessoa humana. Lamentável, inaceitável, reprovável a ação de pessoas preconceituosas em um evento institucional e educativo realizado pelo curso de Licenciatura em História, campus Possidônio Queiroz - UESPI/Oeiras, hoje a noite, pela plataforma Google Meet.

Durante a palestra intitulada "Anticomunismo Brasileiro: Passado e Presente" proferida pela Profa. Dra. Marylu Alves de Oliveira no I Ciclo de Debates, projeto cadastrado na Pró-reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários (PREX/UESPI), a professora e todos os participantes sofreram ataques verbais preconceituosos de pessoas externas à instituição. Além de xingamentos, palavrões, os ataques também vieram em forma de imagens e vídeos pornográficos. Tudo isso fez com que a organização do evento encerrasse a atividade para evitar maiores constrangimentos. 

Ataques e invasões cibernéticas, infelizmente, estão acontecendo em outras instituições de ensino no Brasil e a reação deve ser a mesma - indignação e registro de uma denúncia na Delegacia Especializada em crimes virtuais. 



Veja também
Desenvolvido por: Lenium®