Terça, 20 de Outubro de 2020
86 9 8877-6606

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 98877-6606

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

31°

24° 40°

Teresina - PI

Últimas notícias
Saúde
Saúde
Encontre aqui notícias sobre saúde e bem-estar.
Internacional Aumento de casos
29/09/2020 09h51
Por: Francine Dutra

Madri: 'A pandemia não está controlada, aumenta a cada semana'

Habitantes estão descontentes com medidas aplicadas e muitos defendem maiores restrições.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, defendeu ontem, durante a atualização da situação pandêmica no país, que os argumentos que sustentam a decisão do governo central respondem a uma "luta epidemiológica" e não "ideológica".

Salvador Illa esteve ontem ao fim da tarde reunido com o conselheiro da Saúde da Comunidade de Madri, Enrique Ruiz Escudero, e as suas correspondentes equipes técnicas. O governo central e executivo regional estão num braço de ferro sobre as medidas que devem ser implementadas na capital espanhola, a mais atingida pela doença, para lutar contra a pandemia.

"Vou falar de dados e de ciência. Não vou falar como político, mas como ministro da Saúde e pessoa preocupada", começou dizendo, citado pelo El Mundo, na mesma conferência de imprensa em que foram anunciados mais 31.785 novos casos de Covid-19 desde sexta-feira passada, mais de 40% em Madri.

Continua depois da publicidade

"Já vamos tarde, temos que atuar com determinação", acrescentou, explicando que Madri comunicou 13.449 novos casos desde sexta-feira, o maior registro daquela comunidade nesta segunda vaga da pandemia. "Isto são dados", disse Illa, que mostram que "em Madri há transmissão comunitária, como temos dito".

"A pandemia não está controlada, vemos que aumenta a cada semana", disse.

Os habitantes de Madri aceitam as medidas que restringem a sua mobilidade em determinados bairros, mas estão divididos sobre a questão, havendo muitos que defendem que as limitações devam ser estendidas a toda a cidade.

Continua depois da publicidade

Mais de um milhão de pessoas, na região de Madri, só pode sair dos seus bairros para satisfazer necessidades básicas, como ir a centros médicos, trabalhar, estudar ou levar os filhos à escola, cuidar de pessoas dependentes ou para viajar, entre outras.

Veja também
Desenvolvido por: Lenium®