Terça, 01 de Dezembro de 2020
86 9 8877-6606

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 98877-6606

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

34°

24° 34°

Teresina - PI

Últimas notícias
Vereadores
Vereadores
A coluna de notícias dos Vereadores
Polícia Prisão
28/10/2020 20h45
Por: Francine Dutra

Vereador que chamou Parada LGBT+ de imoral é preso suspeito de estupro

De acordo com a Polícia Civil, durante as investigações do caso foram levantadas provas materiais, com vídeos e áudios, depoimentos de testemunhas e indícios que comprovavam a autoria do crime.

Foto: Reprodução/Instagram
Foto: Reprodução/Instagram

O vereador Daniel do Abade, de Curuçá, no nordeste do Pará, foi preso suspeito de estuprar uma adolescente de 15 anos no município. A prisão aconteceu na última sexta-feira (23) em um posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na barreira de Castanhal.

De acordo com a Polícia Civil, durante as investigações do caso foram levantadas provas materiais, com vídeos e áudios, depoimentos de testemunhas e indícios que comprovavam a autoria do crime. Após o levantamento, a delegacia de Curuçá solicitou a prisão preventiva do acusado, que foi deferida de imediato pelo juiz da comarca.

As diligências para localizar o suspeito iniciaram no dia 23 de outubro. Daniel foi preso e conduzido para o sistema penal do estado, e deve responder pelo crime de estupro qualificado de menor.

Ainda segundo a Polícia Civil, antes da solicitação de prisão preventiva, o suspeito já estava sob condicional, que estava sendo descumprida, já que o vereador não obedecia os horários de saída e retorno para sua residência. A Polícia reforçou que o caso não tem nenhum ligação com questão política.

A câmara de vereadores de Curuçá não se posicionou sobre o caso e o advogado de Daniel não foi localizado. 

Em dezembro de 2019, o vereador de Curuçá, Daniel Rabelo causou polêmica ao fazer uma publicação em suas redes sociais a respeito da parada LGBTI+ realizada na região.

"É o fim do mundo! A imoralidade deles deveria ficar entre quatro paredes", disse na publicação que foi apagada minutos depois após diversas denúncias de internautas.

Em seguida, o suspeito de estupro publicou um vídeo na mesma rede social, em que diz que apenas manifestou sua opinião. "É direito meu também", e seguiu com declarações polêmicas. "É absurdo apagarem a postagem de uma pessoa que está ali se manifestando de forma passiva. Eu tenho muitos amigos viados, mas que são viados de verdade, não são vândalos que querem 'aparecer'".

À época, internautas demonstraram revolta com a declaração feita pelo vereador nos comentários do vídeo publicado em rede social.

Fonte: G1
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®