Domingo, 29 de Novembro de 2020
86 9 8877-6606

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 98877-6606

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

33°

25° 34°

Teresina - PI

Últimas notícias
Marcelo Barradas
Marcelo Barradas
Notícias com Marcelo Barradas
Política Denúncia
30/10/2020 12h07
Por: Marina Sousa

Wagner Coelho é acusado de cobrar por perícia em hospital público de Uruçuí

Conforme consta nos autos do processo, o médico teria cobrado R$ 200 reais para realizar a perícia.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O atual prefeito de Uruçuí, o médico Wagner Coelho, que é candidato a reeleição, vê-se diante de várias acusações, de diversas práticas criminosa, entre todas, está a acusação de cobrar por perícia médica no Hospital Regional Dirceu Arcoverde. A denúncia foi feita pelo Ministério Público , sob o nº 961-04.2015.8.18.0077, em 30 de novembro de 2015, por meio do seu representante, o Promotor de Justiça Substituto, José William Pereira Luz, e a ação penal foi ajuizada na 1ª Câmara Especializada Criminal do Tribunal de Justiça do Piauí.   

De acordo com a denúncia, Wagner foi nomeado pela justiça como perito oficial em processo de interdição, com a obrigação de elaborar exame em Domingas Maria Ferreira, portadora de síndrome de Down. Por exercer a função de médico do Hospital Regional de Uruçuí, e, portanto, ser funcionário público, deveria ter realizado a perícia de forma gratuita. Não foi o que aconteceu. Conforme consta nos autos do processo, o médico teria cobrado R$ 200 reais para realizar a perícia. Em depoimento, a mãe de Domingas Ferreira, dona Maria Aparecida Gomes Ferreira, informou em depoimento que procurou o médico com a ordem judicial citada, e, mesmo assim foi constrangida a pagar pelo exame.

Wagner Coelho é acusado de outro crime da mesma natureza. O sr. Raimundo Umbelino de Oliveira, pai de Ary Lopes de Oliveira, favorecido por outra ordem judicial de gratuidade da elaboração de perícia médica, informa que também teve de pagar o valor de R$ 200 reais para a realização da consulta, contrariando os termos da decisão judicial. Além disso, de acordo com a denúncia o médico não expediu nenhum laudo, apenas deu o encaminhamento para que o paciente se dirigisse a Teresina.

Continua depois da publicidade

Diante da gravidade dos fatos o Ministério Público pediu a prisão preventiva do médico Wagner Coêlho por crime de concussão, baseado no artigo 316 do código penal, por exigência de vantagem indevida.

Na condição de candidato, novamente, Wagner tem sido cobrado pela população a dar respostas sobre tantas acusações que correm na justiça e que terminam por manchar a imagem da cidade, já que ele é o atual prefeito da cidade.

Continua depois da publicidade

Baixar PDF

Veja também
Desenvolvido por: Lenium®