Quinta, 29 de Julho de 2021
86 9 9821-9621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

34°

23° 34°

Teresina - PI

Últimas notícias
Radar Político
Radar Político
Últimas notícias, entrevistas, reportagens e análises sobre o que acontece na política.
Brasil Justiça
21/12/2020 10h34
Por: Marina Sousa

Detenta vegana sem ''alimentação adequada'' ganha liberdade provisória

A juíza Placidina Pires concedeu liberdade provisória a uma advogada vegana que apresentou problemas de saúde por se alimentar de maneira inadequada na prisão, em Goiás. De acordo com a defesa da acusada, desde que foi detida, a advogada só comia cenoura e quiabo porque a unidade prisional não tem cardápio específico para esses casos.

Segundo informações, a prisão da advogada foi decretada preventivamente por indícios de que ela faz parte de uma organização criminosa especializada em jogos de azar e lavagem de dinheiro com a suposta prática ilícita. Ela seria a responsável por uma das casas de jogos do grupo.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Ao pedir a revogação da prisão preventiva, a defesa dela argumentou que, devido à má alimentação, a advogada foi levada às pressas para um hospital e está internada em estado grave. Os advogados dizem ainda que ela é inocente e destacam que é ré primária.

Continua depois da publicidade

De acordo com a magistrada, não há comprovação de que a advogada está internada em estado grave, mas, como o Estado não tem condições de fornecer alimentação adequada, foi concedida a substituição da prisão por medidas cautelares.

Além do uso de tornozeleira, a advogada não poderá mudar de endereço, nem se ausentar por mais de oito dias e terá de comparecer a todos os atos em que for intimada.

Fonte: Rota Jurídica
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp