Sexta, 05 de Março de 2021
86 9 9821-9621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

26°

23° 34°

Teresina - PI

Últimas notícias
Cinema
Cinema
As últimas notícias do cinema, trailers e entrevistas, horários de filmes, e muito mais.
Entretenimento Veja
06/01/2021 11h08
Por: Bruna Sampaio

Cinco motivos para assistir Bridgerton, nova sensação da Netflix

Com oito episódios, a primeira temporada é inspirada no livro Os Bridgertons– O Duque e Eu, da escritora Julia Quinn.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Criada por Chris Van Dusen, e produzida pela Shonda Rhymes — responsável por sucessos como Grey’s Anatomy e Scandal —, a série Bridgerton é a nova sensação da Netflix. Lançada no último dia 25 dezembro, a obra foi parar nos assuntos mais comentados do Twitter e permanece, desde então, no segundo lugar do TOP 5 da plataforma de streaming, atrás apenas de Cobra Kai.

Com oito episódios, a primeira temporada é inspirada no livro Os Bridgertons – O Duque e Eu, da escritora Julia Quinn. A história se passa nos anos 1800 e revela costumes da aristocracia inglesa. Daphne Bridgerton (Phoebe Dynevor) está prestes a debutar entre as jovens londrinas disponíveis para casamento. A jovem conta com a ajuda do duque Simon Basset (Regé-Jean Page), melhor partido da cidade, para atrair os olhares masculinos.

Veja o trailer

Viciante, Bridgerton lembra obras da renomada Jane Austen como Orgulho e Preconceito, com fotografia e figurinos impecáveis, belas paisagens e uma pitada (necessária) de feminismo para dosar o melodrama. Veja cinco motivos que fazem de Bridgerton um programão para cinéfilos:

Cenas Quentes — Ao assistir Bridgerton, não espere um romance adolesce ou "água com açúcar", como diversas produções do serviço de streaming. A produção é repleta de cenas de sexo (quase) explícito.

Diversidade — Na série Bridgerton, a monarca inglesa é uma mulher preta. Vivida pela atriz Golda Rosheuvel, a rainha Charlotte é a toda poderosa de Londres. A segunda família mais importante da Inglaterra, representada pelo duque (Simon Busset) também é negra.

Feminismo — Interpretada por Claudia Jessie, Eloise Bridgerton é o oposto da irmã Daphne. Em vez de casamento, a jovem sonha em ser livre como os homens da época para escolher seu próprio destino. A personagem traz frescor à trama e quebra a narrativa melodramática nos momentos certos.

Boa dose de intrigas — No melhor estilo das novelas de Glória Perez, Bridgerton conta várias tramas paralelas, cheias de intrigas independentes da história principal.

Fonte: Metrópoles
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®