Quinta, 18 de outubro de 2018
(86) 99915-1055
Teresina - Irregularidades

Postada em 09/04/2018 ás 14h36 - atualizada em 09/04/2018 ás 14h40

Publicada por: Bruna Dias

MP-PI multa Instituição de Ensino Superior em R$ 175 mil reais
A IES foi multada por irregularidades na execução do estágio supervisionado.
MP-PI multa Instituição de Ensino Superior em R$ 175 mil reais

Foto: Gustavo Miranda

O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (PROCON), órgão do Ministério Público do Piauí (MPPI), multou a Universidade Anhanguera - UNIDERP no valor R$ 175 mil reais, por irregularidades na execução do estágio supervisionado de estudantes do curso de serviço social.

O órgão de defesa do consumidor recebeu diversas reclamações de alunos da Instituição de Ensino Superior (IES), que não conseguiam cursar a disciplina de estágio supervisionado. A direção do pólo, segundo relatos dos estudantes, apresentou diversas explicações para as falhas. No entanto, foi constatado que a universidade não possuía convênios suficientes para todos os discentes e que isto os obrigava a procurar lugares para estágio por sua própria conta. As instituições onde ocorreriam o estágio não estavam aceitando os estudantes oriundos da Universidade Anhanguera. 

O PROCON convocou a IES para audiência. visando discutir e resolver a situação dos estudantes prejudicados. Os representantes da Anhanguera informaram que a administração do pólo estava passando por alterações e que ainda não haviam apreciado a reclamação dos alunos. Entretanto, a Universidade comprometeu-se a repassar à sede da empresa as queixas dos estudantes.

A empresa declarou em sua defesa que os alunos que cursaram o estágio obrigatório de modo irregular, durante o período de férias, teriam que fazer novamente a disciplina. Em contrapartida, os discentes informaram que a instituição de ensino teve conhecimento prévio dos campos de estágio apresentados pelos alunos, bem como das datas de início e fim de cada disciplina pleiteada, tendo com isso a obrigação legal de indeferir.

O PROCON/MPPI aponta que uma das circunstâncias agravantes da situação sofrida pelos alunos foi o fato da faculdade ter conhecimento de que alguns alunos realizaram o estágio obrigatório fora do período letivo, o que posteriormente causou prejuízos a estes, já que a instituição não convalidou o estágio. O órgão do Ministério Público diz que isso representa infração ao artigo 26, inciso IV, do Código de Defesa do Consumidor.

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Revista ADV

»

Cabeceiras do Piauí Por Francisco Rocha

Bandidos armados assaltam comércio na zona rural de Cabeceiras

Beneditinos Por Cascatinha Pessoa

Secretaria de Saúde realiza atendimento na U.B.S da Barrinha

Olho D'água do Piauí Por Jô Mendes

Serviço de fisioterapia passa a ser oferecido na UBS de Olho D'água

Lagoinha do Piauí Por Mysael Santana

Prefeitura de Lagoinha do Piauí realiza evento em alusão ao 'Outubro Rosa

Valença Por Thiago Maciel

Jogo do Poder destaca nome de Dr. Marcos Vinícius como candidato a Prefeito

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2018 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium