Segunda, 01 de Março de 2021
86 9 9821-9621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

24°

23° 34°

Teresina - PI

Últimas notícias
Radar Político
Radar Político
Últimas notícias, entrevistas, reportagens e análises sobre o que acontece na política.
Política Economia
19/02/2021 09h07 Atualizada há 1 semana
Por: Bruna Sampaio

Governo e Congresso fecham acordo para liberar auxílio

O ministro da Economia, Paulo Guedes, tem indicado que o benefício deve ser de R$ 250

Foto: reprodução
Foto: reprodução

O governo federal sinalizou nessa quinta-feira (18) estar disposto a amenizar a proposta de emenda à Constituição (PEC) Emergencial para facilitar um consenso no Senado. A PEC traz medidas de cortes de gastos e é a principal condição para a retomada do auxílio emergencial.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, tem indicado que o benefício deve ser de R$ 250 e ser pago até o mês de junho.

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), apresentou aos líderes partidários nessa quinta os quatro principais eixos que nortearão a nova versão da proposta:

  1. a sustentabilidade da dívida;
  2. ressalvas na regra de ouro;
  3. equilíbrio fiscal intergeracional;
  4. provisões da área de calamidade pública.

A ideia central da iniciativa é criar uma cláusula de calamidade pública e, a exemplo do que foi feito no orçamento de guerra, abrir um orçamento paralelo para o pagamento do auxílio.

O relator do orçamento de 2021 e da PEC Emergencial, senador Márcio Bittar(MDB-AC), vai apresentar para líderes na sexta-feira (19) uma versão inicial do parecer da proposta. A ideia é que o relatório fique pronto na semana que vem para poder ser votado na próxima quinta-feira (25).

Fonte: Congresso em foco
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®