Sexta, 07 de Maio de 2021
86 9 9821-9621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

24°

23° 30°

Teresina - PI

Últimas notícias
R10 Policial
R10 Policial
Tudo sobre notícias policiais do Brasil e do mundo.
Brasil No Distrito Federal
13/04/2021 13h02
Por: Marina Sousa

Feminicídio: mulher morre após ser mordida e esfaqueada pelo marido

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Mais uma mulher morreu no Distrito Federal vítima de feminicídio. Tatiane Pereira da Silva chegou a ser internada no Hospital Regional de Planaltina na sexta-feira (9/4) após ser esfaqueada pelo marido. A vítima, de 41 anos, não resistiu e faleceu nessa segunda (12).

O agressor, Manoel Paulo Severino da Silva, foi preso na madrugada desta terça (13).

Segundo o boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), a briga do casal começou por volta de 00h15 de sexta. Ricardo Viana, delegado-chefe da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), relata que o agressor mordeu e esfaqueou a mulher após uma discussão.

Continua depois da publicidade

Mesmo ferida, Tatiane procurou a delegacia e registrou a ocorrência, que inicialmente foi notificada como lesão corporal por violência doméstica. A vítima ainda solicitou medidas protetivas, que foram concedidas pela Justiça no mesmo dia.

Foram determinadas as seguintes medidas ao agressor:

  • Proibição de aproximação da vítima, familiares e testemunhas, restando fixado o limite mínimo de 300 metros de distância;
  • Proibição de contato com a vítima, familiares e testemunhas por qualquer meio de comunicação, tais como ligação telefônica, WhatsApp, e-mail, Facebook, Instagram e outros.

Para o delegado, uma vez que Tatiane chegou a ficar internada em estado grave e faleceu dias depois, ela pode ter sido agredida novamente depois de prestar queixa na delegacia. Outra hipótese é que um dos ferimentos teria sido mais grave do que aparentava.

“Ela levou uma facada de raspão nas pernas e uma mordida no braço, mas pode ter tido mais lesões. A gente acredita que ela escondeu da família o resultado da briga e isso pode ter levado à morte dela”, pontuou Viana.

A família contou que Tatiane esteve duas vezes no Hospital Regional do Paranoá após ser agredida, com vômitos, náuseas e dores abdominais. Mas teria sido orientada a voltar para casa nas duas vezes. Como os sintomas se agravaram e ela começou a urinar sangue, Tatiane decidiu ir ao Hospital Regional de Planaltina, onde acabou sendo internada, mas morreu horas depois.

Discussão

Conforme informações da PCDF, a vítima de feminicídio e o agressor viviam em união estável há cerca de 6 anos e criavam um filho de 3 anos. À polícia, Tatiane relatou que as agressões começaram no ano passado.

Na data da briga, o casal voltava para casa após sair de um bar na DF-250, no Núcleo Rural 06 do Paranoá. Manoel queria retornar ao estabelecimento e Tatiane não, o que gerou a discussão. Ele mordeu o braço dela e a esfaqueou na perna. Depois disso, ela teria ido à casa da mãe e, em seguida, procurado a polícia.

Na segunda-feira, porém, a delegacia foi informada, por um familiar da mulher, que ela estava internada em estado grave e que precisaria passar por cirurgia, em decorrência das agressões sofridas. O quadro de saúde de Tatiane piorou e ela faleceu à tarde.

Fonte: Metrópoles
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp