Segunda, 29 de Novembro de 2021
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

29°

25° 37°

Teresina - PI

Últimas notícias
Blog do Lucão
Blog do Lucão Fique por dentro de tudo que acontece na região.
Cidades Polícia
14/05/2021 07h46 Atualizada há 7 meses
Por: Blog do Lucão

DRH recambia 'Japa' para Timon

A Polícia Civil do Maranhão, através da Delegacia de Homicídios de Timon nesta quinta-feira(13/05) fez a transferência de JAPA, suspeita de participação no crime das jovens Joyce e Maria Eduarda, mortas no tribunal do crime em Timon, no dia 21/03/2021. A transferência foi discreta, assim como a chegada cedinho ao aeroporto  de Teresina, onde sequer foram percebidos. 

O crime

DRH recambia 'Japa' para Timon

Os corpos das jovens foram encontrados em covas rasas, no dia 21/3/2021, vídeos e imagens das vítimas foram divulgadas amplamente nas redes sociais. A Delegacia de Homicídios de Timon-MA, responsável pelas investigações, ouviu diversas pessoas, inclusive algumas suspeitas da participação no crime. A investigação conseguiu vídeos do deslocamento das jovens e autores até as proximidades do local do crime. Com os primeiros depoimentos chegou-se as suspeitas, cinco foram interrogadas. A polícia chegou também ao apelido de JAPA, que através de investigação da Delegacia de Homicídios com o Departamento de Combate ao Crime Tecnológico-DCCT da SEIC/MA, descobriu que havia fugido para o estado do Pará, onde os policiais estiveram e junto com os policiais civis da DHPP paraense descobriram que JAPA havia viajado para Carlos Barbosa-RS. Os policiais da Homicídios localizaram o paradeiro de JAPA e através da Polícia Civil Gaúcha efetuaram a prisão no dia 23/4/2021.

Outras duas estão foragidas e deverão ter mandados de prisões deferidos pela justiça.

Interrogatório 

A Delegacia de Homicídios informou que JAPA negou o crime e alegou falar apenas em juízo.

Desinformação

A Delegacia de Homicídios informa que várias matérias jornalísticas divulgadas são meras especulações que prejudicam as investigações.

A Polícia Civil apreendeu roupas das vítimas na casa de uma das acusadas. FALSO. Não houve nenhuma apreensão de roupas. Os investigadores estiveram no dia seguinte ao crime na casa onde Japa morava, que fica cerca de 100 metros do local das covas e encontraram um caderno com o nome de Maria Eduarda.

LOURA é acusada do crime e está presa. FALSO. Loura como foi amplamente divulgado por alguns canais NÃO foi presa e NÃO tem participação no crime.  Inclusive foi decretada de morte pelas facções após as matérias divulgadas. 

O crime tem ligações com facções. VERDADEIRO. O crime foi praticado por integrantes de facções. 

Pelas investigações JAPA teve participação mas ainda é cedo de falar que tenha sido a mandante. As investigações estão bastante avançadas e a polícia civil já tem os nomes de diversos suspeitos na participação do crime. Pelo menos cinco já foram intimados e compareceram na DH antes mesmo da prisão de JAPA.

Custodiada

JAPA estava custodiada no Presídio Feminino Madre Pelletier, em Porto Alegre-RS.

DRH

As investigações estão a cargo da Delegacia de Homicídios de Timon.

PUBLICIDADE:

 

Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp