Sábado, 12 de Junho de 2021
86 9 9821-9621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 98195-0154

26°

22° 33°

Teresina - PI

Últimas notícias
Vereadores
Vereadores
A coluna de notícias dos Vereadores
Política Vereador
03/06/2021 12h25
Por: Francine Dutra

Aluísio defende realização de coleta seletiva residencial em Teresina

Foto: Ascom
Foto: Ascom

Em audiência pública realizada nessa quarta-feira (2), na Câmara Municipal de Teresina (CMT), sobre a concessão dos serviços de resíduos sólidos em Teresina, o vereador Aluísio Sampaio (Progressistas) apresentou alguns questionamentos quanto à taxa da coleta de lixo a ser cobrada e sobre a contemplação da coleta seletiva residencial. Estiveram presentes o secretário municipal de Planejamento (SEMPLAN) João Henrique Sousa, parlamentares e membros da pasta.

Em 2015, Aluísio Sampaio assumiu a Secretaria do Meio Ambiente de Teresina (SEMAM), uma das suas principais pautas foram a sustentabilidade, esgotamento sanitário e educação ambiental. “Um dos maiores desafios que temos na área ambiental é a questão do lixo e do saneamento básico, principalmente em relação ao esgoto. As minhas únicas preocupações são, primeiramente, quanto à taxa. Acho que toda taxa que se amplia na arrecadação, nós podemos diminuir o valor da cobrança, para não atrapalhar a quem empreende, especialmente, ao pequeno empreendedor. A outra preocupação é a contemplação da coleta seletiva residencial, porque o que nós percebemos hoje de fundamental importância nas questões dos resíduos sólidos é a coleta seletiva. Isso envolve também a contemplação da educação ambiental para a população realmente poder separar o lixo corretamente”, destaca.

Atualmente Teresina conta com apenas 35% de cobertura na rede de esgoto, porcentagem ainda distante da ideal na capital piauiense. Sampaio comenta avanços e desafios enfrentados em Teresina referente ao tema. “A Parceria Público Privada (PPP) permitiu um avanço hoje significativo desenvolvendo melhorias no setor. Ao iniciarmos nossos trabalhos na Câmara, a cobertura da rede de esgoto era de 17% e hoje já são 35% na cidade de Teresina. O aterro sanitário tem uma vida útil que já está vencendo, só temos mais três anos e as adequações à Política Nacional dos Resíduos Sólidos Brasileira, se faz necessária. Nós precisamos financiar a solução desses problemas ambientais, que são de importância não só para nossa cidade como também para o planeta”, disse o Progressista.

Continua depois da publicidade
Fonte: Ascom
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp