Segunda, 19 de novembro de 2018
(86) 99915-1055
Desk Propaganda
Geral - Ação civil

Postada em 24/04/2018 ás 15h25

Publicada por: Redação

MP-PI pede condenação de construtora por danos morais coletivos
Os moradores do Residencial Eduardo Costa relatam que a estruturação do empreendimento não foi efetivada.
MP-PI pede condenação de construtora por danos morais coletivos

Foto: Ascom

A 32ª Promotoria de Justiça de Teresina, especializada na defesa do direito do consumidor, ajuizou ação civil pública com o objetivo de obter determinação judicial para que a RG Construções e Serviços cumpra todos os termos constantes nas ofertas publicitárias de comercialização de unidades do Residencial Eduardo Costa, localizado na zona sul da capital piauiense.

O anúncio veiculado pela construtora, em vídeo, propagava que o residencial seria um “novo bairro planejado”, “com área de lazer, ruas e avenidas amplas, bem iluminadas e arborizadas”, “com sistema de coleta e tratamento de esgotos”, “contando ainda com praças, quadras poliesportivas, campos de futebol society, creche e terminal de ônibus”.

Contudo, os moradores relatam que sofrem com falhas no fornecimento de água e que a estruturação do empreendimento não foi efetivada. O Ministério Público apurou, por meio de inquérito civil, que a Prefeitura Municipal de Teresina havia autorizado somente a construção de edificações residenciais unifamiliares.

“Ficou plenamente comprovado que a RG Construções, executora do empreendimento Residencial Engenheiro Eduardo Costa, ofereceu de forma clara, precisa e ostensiva a comercialização de residências unifamiliares, prometendo que as mesmas estariam em bairro novo, o qual contaria com inúmeras estruturas”, argumenta a Promotora de Justiça Graça Monte. “Nestes termos, considerando que as referidas estruturas não foram indicadas no projeto original, nem aprovadas pelo poder público municipal, evidencia-se que a empresa utilizou-se da oferta para beneficiar-se com a venda das unidades habitacionais, devendo responsabilizar-se pelos exatos termos divulgados, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor”, pontuou a representante do Ministério Público.

A 32ª Promotoria de Justiça requereu que a construtora seja condenada ao cumprimento de obrigação de fazer, com a construção de uma praça, uma quadra poliesportiva, um campo de futebol society, uma creche e um terminal de ônibus, todos em equilíbrio com a magnitude do referido empreendimento. A condenação deve incluir ainda o pagamento de R$ 200 mil, a título de dano moral coletivo.

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Revista ADV

»

Cabeceiras do Piauí Por Francisco Rocha

Caminhão carregado de sal pega fogo na PI 113, entre Barras e Cabeceiras

Joaquim Pires-PI Por João Victor

Prefeitura de Joaquim Pires realiza obras na zona rural

Beneditinos Por Cascatinha Pessoa

Inaugurado mais um Parque de Vaquejada em Beneditinos

Valença Por Thiago Maciel

Prefeita Ceiça Dias promove festa para crianças na localidade Izidória

Coronel José Dias Por R10 municípios

Prefeitura realiza reparos e manutenção do sangrador da Barragem

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2018 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium