Segunda, 20 de Setembro de 2021
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

30°

24° 38°

Teresina - PI

Últimas notícias
R10 Utilidade Pública
R10 Utilidade Pública
Tudo sobre utilidade pública.
Piauí Covid-19
24/08/2021 17h17 Atualizada há 4 semanas
Por: Bruna Sampaio

Bares e restaurantes do PI podem demitir empregado que recursar vacina

Bares e restaurantes do Piauí podem demitir funcionários que recusarem tomar a vacina contra a covid-19. A informação é da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes Seccional Piauí (Abrasel no Piauí).

Em janeiro deste ano, o Ministério Público do Trabalho publicou um guia técnico com orientações a funcionários e empregadores sobre a vacinação contra a Covid-19. Entre elas está a possibilidade da demissão por justa causa daquele empregado que, sem nenhum impedimento de saúde, se recusar a ser imunizado.

Divulgação/CCOM
Divulgação/CCOM

Em nota, a Abrasel no Piauí, que representa empresários e trabalhadores diretos, além de milhares de consumidores atendidos diariamente, afirma que "acredita no papel fundamental da vacinação em massa para conter a pandemia. É graças ao avanço da vacinação coletiva que os indicadores estão melhorando".

Continua depois da publicidade

Também afirma que "embora entenda que cada cidadão deva ter o direito à liberdade individual, a Abrasel no Piauí acredita que uma decisão cujas consequências extrapolem o indivíduo, como é o caso da imunização contra a Covid-19, sobretudo num setor formado por gente e que cuida de gente, deve sempre buscar assegurar o bem-estar coletivo".

“É de extrema importância ressaltar o papel da vacina na vida de todos. E, com isso, alertar para que todos os empresários e funcionários dos estabelecimentos do ramo de alimentação fora do lar se vacinem, afinal, quando o contrário acontece, podem estar atingindo não apenas a si mesmos, mas a todo o grupo da empresa e possíveis clientes. Assim, todas as medidas cabíveis devem ser tomadas para que, nesse caso, o coletivo não seja prejudicado”, diz o presidente da Abrasel no Piauí, Eduardo Rufino. 

Segundo a associação, nos bares e restaurantes, quando um funcionário ou um grupo de funcionários se recusa a ser imunizado, a equipe e a administração do negócio ficam em situação delicada, sob risco de uma eventual contaminação de outros trabalhadores, fornecedores e clientes, podendo até atingir a própria marca. É uma decisão dura de ser tomada, mas em caso de firme recusa à vacina, a Abrasel no Piauí entende que a demissão é razoável, embora entenda que a aplicação da “justa causa” não se faça necessária.

Antes disso, A Abrasel ressalta que "defende e estimula é que os bares e restaurantes devem apoiar esse funcionário a entender a importância da vacinação, sempre tomando decisões fundamentadas no diálogo, na ciência e na educação".

Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp