Domingo, 16 de Janeiro de 2022
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

28°

23° 30°

Teresina - PI

Últimas notícias
Famosos
Famosos
Tudo sobre o mundo das celebridades.
Geral Geral
23/09/2021 10h11
Por: Bruna Dias

Morte de ator achado com saco na cabeça em casa foi acidental, diz IML

A morte do ator Luiz Carlos de Araújo foi acidental, segundo a conclusão do laudo do Instituto Médico Legal (IML) divulgado na quarta-feira (22) pela Polícia Civil de São Paulo. De acordo com o documento, a causa da morte foi por asfixia e uso de drogas.

O artista de 42 anos, que era conhecido por ter atuado na novela 'Carinha de Anjo', do SBT, havia sido encontrado por amigos e pela Polícia Militar (PM) já sem vida, no último dia 11 de setembro, no seu apartamento no centro da capital paulista

Foto: Reprodução/Arquivo pessoal
Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

O ator tinha deixado de responder as mensagens por celular havia alguns dias, o que preocupou quem o conhecia. Amigos e a PM chamaram um chaveiro para abrir a porta do imóvel e acharam Luiz Carlos sozinho sobre a cama, com a cabeça dentro de um saco e a barriga para cima.

Continua depois da publicidade

De acordo com o resultado do exame necroscópico e informações da investigação, o ator usou um saco plástico para tentar aliviar a ansiedade, numa polêmica técnica conhecida na literatura médica como re-respiração, que consiste em colocar um saco de papel na boca e assoprá-lo.

O saco plástico que Luiz Carlos usou sobre a cabeça aumentou o teor de dióxido de carbono e reduziu o de oxigênio, segundo o laudo.

"Tal prática [de assoprar o saco] pode ter como complicação a asfixia por confinamento", segundo nota divulgada pela 1ª Delegacia Seccional Centro, que investiga a morte de Luiz Carlos, sobre o laudo do IML.

Segundo a delegacia, a perícia médica informou que essa asfixia associada ao uso de antidepressivos, bebida alcoólica e cocaína fizeram com que o ator perdesse a consciência o levando a "morte acidental".

"Asfixia acidental, causada pelo rebaixamento do nível de consciência. Associada ao confinamento dentro do saco plástico. Usou também cocaína, antidepressivos e álcool", falou nesta quarta-feira ao g1 o delegado seccional Centro, Roberto Monteiro.

Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp