Terça, 26 de Outubro de 2021
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

25°

22° 37°

Teresina - PI

Últimas notícias
Blog do Lucão
Blog do Lucão Fique por dentro de tudo que acontece na região.
Cidades Policial
24/09/2021 10h00 Atualizada há 1 mês
Por: Blog do Lucão

Dupla é condenada por esquartejar e ocultar corpo de empresária no MA

Duas pessoas foram condenadas de assassinar e esquartejar a empresária Maria Hilda da Silva Ferreira, de 32 anos, conhecida como Leuda, no município de Vitorino Freire, cidade a 300 km de São Luís. O crime bárbaro aconteceu em março do ano passado e o corpo da vítima nunca foi localizado.

A sentença do júri popular condenou a 28 anos e 10 meses de reclusão, Franciane Lima da Rocha e já Maylson Régis, foi condenado a 26 anos e quatro meses. Ambos também foram sentenciados pelos crimes de ocultação de cadáver e homicídio qualificado da empresária.

Franciane Lima da Rocha foi condenada a 28 anos e 10 meses de reclusão e Maylson Régis a 26 anos e quatro meses. — Foto: Reprodução/TV Mirante
Franciane Lima da Rocha foi condenada a 28 anos e 10 meses de reclusão e Maylson Régis a 26 anos e quatro meses. — Foto: Reprodução/TV Mirante

A empresária foi brutalmente assassinada após descobrir que a dupla e uma terceira pessoa, identificada como Gonçalo de Sousa, que mantinha um relacionamento com Franciane Lima, estariam planejando um assalto à casa da vítima. (VEJA O VÍDEO AQUI)

As investigações apontam que Maria Hilda foi morta por sufocamento e em seguida, teve o corpo levado, dentro de um saco, na garupa de uma motocicleta para fora da cidade. Segundo a Polícia Civil, a moto era conduzida por Gonçalo de Sousa, que está foragido até hoje.

Franciane de Lima era amiga da vítima e costumava frequentar a casa da empresária. A suspeita foi presa logo após o crime, ela chegou a negar participação no caso e por falta de provas, chegou a ser liberada.

Maria Hilda da Silva Pereira tinha 32 anos — Foto: Reprodução/TV Mirante

Entretanto, em seguida, a polícia reuniu elementos que deixaram claro a participação dela. Em depoimento, ela confessou que os três planejaram e executaram toda a ação criminosa.

Após o julgamento Franciane de Lima e Maylson Régis foram encaminhados ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde vão permanecer presos.

PUBLICIDADE:

Fonte: G1 MA
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp