Terça, 20 de agosto de 2019
(86) 99915-1055
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Equatorial - Energia
Geral - Brasil

Postada em 11/05/2018 ás 08h55

Publicada por: Redação

Petrobras volta a ser a empresa mais valiosa da América Latina
O banco situa a companhia como uma das mais expostas a esse cenário de alta do petróleo
Petrobras volta a ser a empresa mais valiosa da América Latina

Foto: Reprodução

Os quatro dias de forte valorização das ações da Petrobras fizeram a petrolífera retomar o posto de mais valiosa da América Latina, desbancando a Ambev, que ocupava a posição desde outubro de 2014. Impulsionada pela valorização do petróleo nos últimos dias, a petrolífera atingiu R$ 358,9 bilhões em valor de mercado, enquanto a gigante de bebidas fechou o dia com R$ 342,6 bilhões.

Somente nas últimas quatro sessões, a estatal ganhou R$ 56,3 bilhões em valor de mercado. Um dos fatores que explicam a alta é o aumento da cotação do petróleo no exterior, em especial após o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciar a saída do acordo nuclear com o Irã.

O anúncio fez o barril do Brent, negociado em Londres e referência internacional, atingir US$ 77. Mas o resultado da estatal no primeiro trimestre também agradou aos investidores. A Petrobras teve alta de 56,4% no lucro no período, para R$ 6,96 bilhões, e voltou a distribuir juros sobre capital próprio aos acionistas, o que não ocorria desde abril de 2014.

Por outro lado, a Ambev fechou em baixa pelo segundo dia nesta sessão. A gigante de bebidas viu seu lucro subir 13,4% no primeiro trimestre, para R$ 2,598 bilhões, mas os resultados no Brasil foram considerados fracos.

"Tem essa explosão do petróleo, então as ações sobem por reflexo do petróleo e do balanço. A venda de ativos da empresa segue em curso, é um cenário favorável", diz Rafael Passos, analista da Guide Investimentos.

Em relatório, o banco UBS disse que a Petrobras está sendo negociada com um "desconto significativo" em comparação com seus principais concorrentes.

Segundo o banco, considerando a relação valor de mercado sobre o ebitda [capacidade de geração de caixa da companhia], o desconto estaria entre 25% e 45%, o que o UBS considera muito elevado.

Segundo o Folhapress, o banco situa a companhia como uma das mais expostas a esse cenário de alta do petróleo na América Latina, ao lado da colombiana Ecopetrol e da argentina YPF.

Apesar de voltar ao topo da Bolsa, a estatal ainda está longe do patamar atingido em 2008, quando chegou a valer mais de R$ 500 bilhões, em valores da época.

No início do governo Dilma Rousseff, em 2010, a empresa valia R$ 380,2 bilhões. A partir daí, diante da insatisfação dos investidores com a gestão da companhia, iniciou uma trajetória de queda que culminou com a perda da liderança para a Ambev em 2012.

Em 2014, durante o período eleitoral, a Petrobras chegou a assumir a ponta novamente, mas despencou após a reeleição de Dilma e chegou a ficar atrás do Itaú Unibanco por cerca de dois anos. Em 2018, as ações da estatal acumulam alta de 60%.

 

 

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Jornal Portal R10

»

Lagoa do Piauí Por Tarcísio Oliveira

Prefeitura realizará roda de conversas sobre queimadas no bairro Modelo

Santa Cruz dos Milagres Por Diego Macêdo

Escola da rede municipal realiza festa em Homenagem as Pais

Água Branca-PI Por Lenno Oliveira

Semana do Aleitamento Materno começa nesta terça (20) em Água Branca

Brasileira Por Giva Ferreira

Proprietários de terras deverão passar pelo Cadastramento Ambiental Rural

Corrente-PI Por Aline Moura

JIU-JITSU CORRENTINO É DESTAQUE NO OESTE BAIANO

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium