Quinta, 19 de Maio de 2022
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

27°

24° 31°

Teresina - PI

Últimas notícias
Curiosidades
Curiosidades
Coluna de notícias curiosas.
Internacional Bizarro
16/11/2021 16h42
Por: Marina Sousa

Vocalista do Brass Against urina em fã e caso para na polícia; assista o vídeo

O xixi no rosto de um fã, ato mais conhecido como “golden shower”, durante o show da banda Brass Against virou caso de polícia após uma pessoa abrir boletim de ocorrência na polícia de Daytona Beach, na Flórida (EUA).

O grupo fez um show na cidade na última sexta-feira (12/11). Durante o evento, a vocalista Sophia Urista fez xixi no rosto de um fã. A banda alegou que ela “se levou” pelo momento e que não irá se repetir.

Reprodução
Reprodução

“Nós nos divertimos muito ontem à noite. A Sophia se deixou levar. Não é algo que a gente esperava e não é algo que vocês vão ver novamente em nossos shows. Obrigado por trazer a energia ontem à noite, Daytona”, disse a banda nas redes sociais.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Brass Against (@brassagainst)

Enquanto a banda Brass Against fazia uma versão própria para a música Wake Up, do Rage Against the Machine, um fã subiu ao palco, deitou-se e a cantora colocou sua região íntima acima da cabeça do homem. Ela baixou as calças e urinou no rosto do fã, que pela reação curtiu bastante.

Caso de polícia

A informação chegou até a polícia após uma denúncia. Messod Bendayan, porta-voz da polícia de Daytona Beach, disse ao New York Post que a página da instituição no Facebook recebeu a reclamação de uma pessoa. Eles aconselharam ela a fazer o boletim de ocorrência para averiguar o caso.

Segundo ele, as autoridades ainda estão analisando o incidente, que pode infringir o estatuto estadual que torna ilegal “expor seus órgãos sexuais em público ou em instalações privadas de outras pessoas de maneira vulgar”.

A infração pode gerar multa de US$ 1 mil, pouco mais de R$ 5,5 mil, ou um ano de prisão.

Fonte: Metrópoles
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp