Quarta, 01 de Dezembro de 2021
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

26°

25° 36°

Teresina - PI

Últimas notícias
Curiosidades
Curiosidades
Coluna de notícias curiosas.
Geral Geral
19/11/2021 15h25
Por: Bruna Dias

Cinco dicas de como reconhecer um bom vinho

O vinho é um bebida que serve tanto para acompanhar um prato especial, para reunir os amigos ou para fazer uma bela degustação, mas, afinal, na hora da escolha, como reconhecer um bom vinho?

Por isso, o sommelier Leandro D’Kessadjikian, com sua vasta experiência em vinhos, pode ajudar nessa missão de escolha, apresentando 5 dicas para reconhecer e apreciar um bom vinho. Confira!

Divulgação
Divulgação

Primeiro de tudo, Leandro sugere que ao pegar o vinho, é preciso visualizar o rótulo da bebida, isso pode ajudar a analisar a qualidade do envase.

Continua depois da publicidade

“Pode-se verificar o rótulo de frente e de trás da garrafa. De maneira geral, quando o vinho é produzido e envasado no mesmo lugar, a garantia de qualidade é melhor. Pois, por mais que uma marca produza um bom vinho, ela não pode garantir a qualidade do envase, caso isso não seja feito por ela”, explica.

Outra característica interessante para reconhecer um bom vinho, é visualizar a cor. Essa dirá muito sobre o tempo e outros elementos que interfiram na bebida. Leandro explica que a cor ainda pode definir qual o sabor do vinho.

“A cor é importante num vinho, pois traz informações que vão desde a idade da bebida, até se a safra foi ensolarada ou chuvosa, por exemplo. Com a cor já sabemos se um vinho é novo ou mais maduro, mas isso é diferente para cada vinho. Em geral, vinhos mais escuros são mais densos, com menos teor alcoólico, enquanto os mais brilhantes são mais ácidos e jovens. Apesar disso, é bom ficar atento, vinhos brancos escurecem com o tempo e vinhos tintos ficam mais claros”, esclarece o sommelier.

As lágrimas que caem da taça também são um elemento essencial para distinguir a qualidade de um vinho, como revela D’Kessadjikian.

“Um teste que pode ser feito com o vinho é girar o líquido na taça e observar as lágrimas que descem nas laterais da taça. Se as lágrimas escorrerem mais devagar, significa que o produtor fez um bom trabalho no vinhedo e na seleção das uvas. Quanto mais um vinho produz lágrimas, ou seja, escorre mais fios de lágrima, mais álcool ele conterá. Se as lágrimas escorrerem de forma lenta, a bebida é mais densa. Lágrimas escorrem mais rápido, portanto, em vinhos de produção industrial, em larga escala”, comenta.

Uma das características do vinho que podem indicar elementos de sua produção é o aroma. Leandro explica como identificá-lo.

“O aroma é característica secundária, mas que pode indicar, principalmente para apreciadores do vinho, a origem da bebida. O cheiro mostra de onde o vinho vem e a uva que foi usada na fabricação. É importante aspirarmos devagar e lentamente o cheiro. O vinho de cada região possui um aroma específico, e por meio do aroma podemos saber, inclusive, se o produto foi maturado num barril de madeira ou carvalho!”, explica ele.

E por fim, a identificação clássica de qualidade da bebida é o sabor. Dessa forma, Leandro sugere a forma de beber o vinho para avaliar seus atributos.

“Ao beber um vinho, ainda estamos avaliando sua qualidade. Para isso sugiro duas coisas: Primeiro, beba com calma o líquido, procurando experimentar ao máximo o sabor, e depois inspirar ar pelo nariz e expirar pela boca, assim, é possível avaliar a persistência do sabor. Se é longo, significa que o vinho é intenso, a persistência do sabor é muito boa. Se a persistência é curta e breve, significa que o vinho não é muito excelente, de baixa qualidade”, sugere Leandro.

Fonte: Ascom
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp