Segunda, 29 de Novembro de 2021
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

32°

25° 37°

Teresina - PI

Últimas notícias
Piauí Piauí
23/11/2021 16h52 Atualizada há 6 dias
Por: Cristina

Carlos Augusto diz que PL seguirá com Wellington Dias

Tem surgido vários questionamentos em torno do destino do Partido Liberal no Piauí, com a confirmação da possível filiação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à sigla.

Em entrevista nesta terça-feira (23), o deputado estadual Carlos Augusto (PL) reforçou que o partido segue na base aliada do governador Wellington Dias (PT), e afirmou que a maior preocupação é continuar trabalhando para ter chapas competitivas.

Coronel Carlos Augusto - Ascom
Coronel Carlos Augusto - Ascom

“Nossa maior preocupação é continuar trabalhando para ter duas chapas competitivas tanto em nível de deputado estadual, quanto federal”, disse.

Esclareceu que a reunião interna do partido que estava marcada para esta terça com o chefe do executivo estadual foi cancelada. “Cancelamos porque ficar fazendo reunião com um fato que não aconteceu ainda. Algo que poderá acontecer, ou não, e essa não é nossa maior preocupação”, esclareceu.

Questionado sobre a filiação do presidente e os problemas para os diretórios estaduais, o parlamentar reiterou que no Piauí, a sigla não terá consequências. “Isso está sendo cotado a nível federal, nós não temos nenhuma influência e temos absoluta certeza de que não teremos consequências também aqui no Piauí, já que o partido decidiu que vai seguir na base aliada do Governador Wellington Dias”, esclareceu.

Apesar do presidente nacional do partido, Valdemar da Costa Neto (PL) dar carta branca para os diretórios estaduais apoiarem candidatos de esquerda, deputados de mandato temem a saída de membros que já estão no partido, além de gerar uma insegurança no estado, pelo fato de Jair Bolsonaro ser o maior opositor do Partido dos Trabalhadores e futuramente exigir que haja rompimento com Wellington Dias. 

Bolsonaro pede o cumprimento de exigências

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que a negociação para sua ida ao PL para disputar as eleições de 2022 ainda não está totalmente fechada. O chefe do Executivo pede o cumprimento de algumas exigências que ainda não foram atendidas.

Bolsonaro quer que a sigla abra mão de qualquer coligação com o PT nos estados. Ele também critica qualquer tipo de atuação eleitoral conjunta com partidos de esquerda. O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, chegou a divulgar que a filiação do presidente aconteceria dia 22 deste mês, mas foi cancelada após Bolsonaro afirmar que ainda "tem muita coisa a conversar".

O partido é fiel aliado do PT no Piauí e integra a base do governador Wellington Dias. Se realmente Bolsonaro se filiar, e exigir o cumprimento das exigências a legenda deve sofrer uma debandada no estado. 

Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp