Terça, 25 de Janeiro de 2022
86 9 98219621

Redação

Whatsapp / Sugestôes

(86) 99821-9621

Cristina

Publicidade

(86) 99800-8359

31°

24° 34°

Teresina - PI

Últimas notícias
Saúde
Saúde
Encontre aqui notícias sobre saúde e bem-estar.
Saúde Saúde
13/01/2022 14h47 Atualizada há 2 semanas
Por: Bruna Dias

Confira quatro remédios para dor no estômago

Geralmente, a dor de estômago é causada pelo excesso de acidez do conteúdo gástrico, excesso de gases, gastrite ou pela ingestão de alimentos contaminados, que além da dor, podem também causar vômitos e diarreia. O ideal é que a dor no estômago seja avaliada por um gastroenterologista, para que o tratamento adequado seja feito.

Os remédios que normalmente são prescritos pelo médico são os inibidores da produção de ácido, como omeprazol, ou esomeprazol, antiácidos como hidróxido de alumínio ou de magnésio ou remédios que acelerem o esvaziamento gástrico, como a domperidona, por exemplo.

iStock
iStock

1. Antiácidos

Os remédios antiácidos agem neutralizando o ácido do estômago, que é produzido para ajudar na digestão dos alimentos. Ao neutralizar o ácido, esses remédios fazem com que o estômago seja menos agredido pelo ácido e com que a sensação de dor e queimação diminua.

Continua depois da publicidade

Esses medicamentos normalmente contêm hidróxido de alumínio, hidróxido de magnésio, carbonato de cálcio ou bicarbonato de sódio, por exemplo.  Alguns exemplos de remédios antiácidos são o Estomazil, Pepsamar ou Maalox, por exemplo.

2. Inibidores da produção de ácido

Os remédios inibidores da produção de ácido agem diminuindo a quantidade de ácido clorídrico que é produzido no estômago, reduzindo a dor e as lesões por ele provocadas em úlceras, por exemplo. Alguns exemplos deste tipo de medicamento são o omeprazol, esomeprazol, lansoprazol ou pantoprazol.

3. Aceleradores do esvaziamento gástrico

Os remédios para esvaziar o estômago atuam acelerando o trânsito intestinal, fazendo com que a comida fique menos tempo no estômago. Os medicamentos que aceleram o esvaziamento do estômago também são usados para tratar casos de refluxo e vômitos, e alguns exemplos são a domperidona, metoclopramida ou cisaprida.

4. Protetores gástricos

Os remédios protetores gástricos formam um muco que protege o estômago, evitando a queimação e a dor.

O organismo tem um mecanismo em que produz um muco protetor da mucosa do estômago, impedindo que o ácido o agrida. No entanto, em alguns casos, a produção desse muco pode diminuir, levando à agressão da mucosa. Os protetores gástricos que podem ser usados para substituir este muco são o sucralfato e os sais de bismuto que melhoram os mecanismos de defesa do estômago e formam uma barreira protetora.

Estes remédios não devem ser usados sem indicação ou acompanhamento do médico. Além disso, existem casos mais específicos em que podem ser prescritos outros medicamentos. 

2. Inibidores da produção de ácido

Os remédios inibidores da produção de ácido agem diminuindo a quantidade de ácido clorídrico que é produzido no estômago, reduzindo a dor e as lesões por ele provocadas em úlceras, por exemplo. Alguns exemplos deste tipo de medicamento são o omeprazol, esomeprazol, lansoprazol ou pantoprazol.

3. Aceleradores do esvaziamento gástrico

Os remédios para esvaziar o estômago atuam acelerando o trânsito intestinal, fazendo com que a comida fique menos tempo no estômago. Os medicamentos que aceleram o esvaziamento do estômago também são usados para tratar casos de refluxo e vômitos, e alguns exemplos são a domperidona, metoclopramida ou cisaprida.

4. Protetores gástricos

Os remédios protetores gástricos formam um muco que protege o estômago, evitando a queimação e a dor.

O organismo tem um mecanismo em que produz um muco protetor da mucosa do estômago, impedindo que o ácido o agrida. No entanto, em alguns casos, a produção desse muco pode diminuir, levando à agressão da mucosa. Os protetores gástricos que podem ser usados para substituir este muco são o sucralfato e os sais de bismuto que melhoram os mecanismos de defesa do estômago e formam uma barreira protetora.

Estes remédios não devem ser usados sem indicação ou acompanhamento do médico. Além disso, existem casos mais específicos em que podem ser prescritos outros medicamentos. 

Esse chás devem ser tomados de 3 a 4 vezes por dia, de preferência em jejum e entre as refeições. 

Além disso, deve-se reduzir o estresse, fazer uma alimentação pobre em doces, gorduras e frituras, evitar a ingestão de refrigerantes e bebidas alcoólicas e evitar o uso de cigarro.

Fonte: Tua Saúde
Veja também
Desenvolvido por: Lenium®
Nosso grupo do WhatsAppWhatsApp