Domingo, 17 de novembro de 2019
(86) 98111-9939
Receba notícias pelo WhatsApp WhatsApp
Nova Comunicação
Entretenimento - Segundo Sol

Postada em 26/05/2018 ás 11h14

Publicada por: Redação

Associação de negros processa a Globo por baixo número de negros em novela
Trata-se da União de Negros Pela Igualdade (Unegro), que entrou no dia 14 de maio com uma ação que pede mudança radical no elenco da novela.
Associação de negros processa a Globo por baixo número de negros em novela

Foto: Reprodução

Uma novela dentro da novela. O baixo número de negros na novela Segundo Sol, que é ambientada na Bahia, continua dando o que falar e vem promovendo dor de cabeça para a Globo. Mais uma vez, o assunto foi parar na justiça por conta de um processo movido por uma associação. Trata-se da União de Negros Pela Igualdade (Unegro), que entrou no dia 14 de maio com uma ação que pede mudança radical no elenco da novela para que represente a verdadeira diversidade racial do estado. Ângela Guimarães, presidente da entidade e filiada ao Partido Comunista do Brasil (PC do B), explicou a ação em entrevista à Veja.

“Vem das denúncias que o movimento negro já faz há décadas da ausência de representatividade negra na televisão brasileira. Agora, estamos falando especificamente de uma novela da Rede Globo que se passa na Bahia. Mas a gente pode estender para o conjunto da programação das TVs. Porque a gente não vê os cerca de 54% de população negra do país refletidos nos apresentadores de telejornais, nos repórteres, nos personagens das novelas”, contou.

Ousado, o movimento pede uma porcentagem grande de negros na novela das 21h: “Queremos a incorporação da real proporcionalidade da população negra do estado no elenco da novela. Nós queremos 80% de negros. Esse é o nosso vetor da mobilização. Quando for no Sul do país, a gente aceita ser 12%, 15%, 20%. Mas, sendo na Bahia, em Salvador, onde cada poro da cidade respira a herança africana, desejamos ser 80%, que é quanto nós somos aqui“, revelou.

Ângela ainda reclamou do esteriótipo do baiano que é apresentado pela mídia: “Entre as poucas novelas que retratam a Bahia, 90% delas fazem isso de forma estereotipada. Porque nós não nos reconhecemos naquele sotaque, nos estereótipos da baiana brejeira, sensual e sempre disponível para o sexo, do baiano preguiçoso ou do malandro. Não nos reconhecemos nessas tramas. O que nós queremos é, de forma educativa, levar a Globo e outras televisões brasileiras a compreenderem que vivemos outro momento histórico, no qual a maioria da população já se autodeclara negra e há uma explosão de movimentos de afirmação dessa negritude. Queremos trazer as televisões para o século XXI“.

 

Foto: Arquivo Pessoal

Fonte: TV Foco

R10 no Facebook:
imprimir
Veja também
TV R10

»

Jornal Portal R10

»

Picos Por Jucelma Sales

UFPI | Grupo Teatral Tempus prepara apresentações para o mês de novembro

Colônia do Gurgueia Por Geney Ribeiro

Casal Adão e Elisângela promovem festa para as crianças de Lagoa Cercada

Blog do Lucão (Timon e Região dos Cocais) Por Lucas Stefano

Sobrinho da Professora Divina morre em decorrência de descarga elétrica

São João da Serra Por Cosme Jales

Inglês apresentado por alunos em feira cultural

São João dos Patos - MA Por Cleyton Luis

Vigilante noturno é executado na cidade de Buriti Bravo

Mais lidas da semana

»

Municípios
© Copyright 2019 - Portal R10 - Todos os direitos reservados
R10 TV Municípios Colunas Anuncie Fale conosco
Site desenvolvido pela Lenium